Arquivo mensais:fevereiro 2017

Choro Emocional – o que é isso?

 Sabe aquele choro do seu filho que você não sabe de onde vem? Muitas vezes ele é sem lágrimas e outras acompanhada de muito sentimento. Sabe quando você não sabe o que fazer diante disso?

Esse “chorinho” é o choro emocional.

child-1154951_1920

O choro é associado à exteriorização de emoções negativas. Ele é a forma que encontramos para dizer que alguma coisa não está bem e ele pode ser de tristeza, desamparo, saudades, entre outros.

Quando o corpo não consegue se expressar ou identificar o que acontece com ele, o choro emocional aparece. E não basta apenas dizer: vai passar… porque o que está perturbando está bem dentro do coração.

Tive privilégio, como professora, de trabalhar em escolas que me engrandeceram e despertaram em mim o amor pela educação mais humana e fortalecida de vínculo. E porque te conto isso?

Porque foi em uma dessas experiências que consegui “aguçar” meus olhos e me perceber e perceber aquelas pequenas crianças que a vida estava trazendo para as minhas mãos.

     E para afirmar ainda mais: choro emocional existe sim!

E cabe a nós, enquanto mães, pais, professores, cuidadores e amantes das crianças, tomar cuidado para que a inteligência emocional daquele serzinho ganhe força e ele saiba como trabalhar cada dificuldade, carência e dor que apareçam em sua vida.

Por isso, separei 5 pontos que você pode usar com seus filhos e até você mesma (o):

1) Choro emocional:

Quando uma criança cai ou chora sem nenhuma razão (aparentemente), e continua a chorar e pedir o nosso colo, o melhor a fazer não é dar um sermão ou explicar em palavras, o que o coração quer sentir.

Simplesmente se abaixe e abrace aquela criança.brothers-1633653_1920

É só isso que na maioria das vezes ela quer: ser escutada, sentida, compreendida e fortalecida… isso é mostrar para ela que ela pode contar com você e que você estará sempre ali para quando ela precisar.

Outra sugestão é falar para a criança: “eu sei que você está triste, e eu estou aqui!”.

 

2) Não desistir:

Em brincadeiras, jogos, pinturas – seja o que for.

Sempre que a criança mostrar sinais de que não quer mais – pela frustração de não conseguir – esteja ao seu lado fortalecendo o seu emocional e dando instrumentos para ela conseguir.

Se o problema for a pintura, que tal ensinar técnicas diferentes para ela? Isso demandará tempo seu, mas qualidade emocional para a vida inteira dela!

Se for frustração perante o jogo, aos poucos, mostre que você também perde e que cada “erro” te deixa mais esperto e mais preparado para a próxima jogada!

 

3) Valorize as virtudes:

Esse é um ponto super importante, pois muitas vezes, na ânsia de acertar na educação de nossos filhos, focamos nas dificuldades ou no que ele (a) não consegue fazer ainda.

Comece falando das virtudes da criança e de como ela é boa naquilo que faz!IMG-20150312-WA0012

Com relação aos pontos a serem trabalhados, mostre outras qualidades que vão ajudar nessa conquista.

 

4) Esteja perto:

Não há presente maior do que aquele tempo com qualidade.

Observe como eles brincam, do que fantasiam, como interagem com os brinquedos, como fazem estas relações entre a fantasia e a realidade e esteja por perto!

Só assim você vai conhecer melhor o seu filho e identificar o que ele está precisando naquele momento!

 

5) Contato:

Coloque a mão sobre o peito da criança – pois esta é a forma de você entrar em contato com ela.

Nesse momento, vocês estão se conectando e fortalecendo essa relação.

parents-and-children-1794951_1920

E sabe, eles vão crescer, vão cuidar da própria vida… e o que fica no final?

As memórias e a maneira de ver e sentir a vida…

São os momentos que você vive ao lado do seu filho que ficarão para sempre guardado no coração deles e no seu.

Por isso, ame, abrace, cuide, brinque, se suje, pule, corra, esteja perto!

Agora é a hora!

;)